Conheça mais sobre o Padre J. Kentenich

BIOGRAFIA

Padre José Kentenich

Deus chama à vida um profeta de Maria

foto_padre_kentenichEm 18 de novembro de 1885, em Gymnich, perto de Colônia, na Alemanha, nasce o Servo de Deus, Padre José Kentenich, Fundador da Obra Internacional de Schoenstatt.

Desde antes de seu nascimento, sua mãe o consagra a Maria. Aos nove anos de idade ele faz a sua consagração pessoal, colocando-se inteiramente ao dispor de Nossa Senhora.

Ainda adolescente, sente o chamado à vida sacerdotal. Em 8 de julho de 1910 é ordenado. Sente-se impelido a anunciar Deus como Pai atuante e presente na vida de cada ser humano. Ajudar o homem, por meio de uma autêntica devoção mariana a restaurar sua dignidade e conquistar sempre mais sua liberdade, como filho de Deus resgatado por um alto preço.

Como jovem sacerdote atua como professor e diretor espiritual no Seminário dos Padres Pallottinos, em Schoenstatt. Sua pedagogia gera uma confiança extraordinária que une os alunos e os conduz organicamente ao mundo sobrenatural. Indica-lhes constantemente a Maria, como modelo do verdadeiro relacionamento com Deus e da dedicação ao próximo.

Atento aos sinais de Deus

Uma das características principais do Pe. Kentenich é conservar sempre “a mão no pulso do tempo e o ouvido no coração de Deus”. Seguindo os sinais indicados pela Divina Providência, em 18 de outubro de 1914, em meio a I Guerra Mundial, com seus alunos, sela a Aliança de Amor com Maria, suplicando-lhe que torne a pequena Capelinha do seminário, um Santuário de Graças e um centro de renovação religioso e moral para a Alemanha e o mundo.

Alguns desses alunos são chamados como soldados para a guerra e oferecem a própria vida a Deus, em holocausto pela frutuosidade da Obra que iniciaram com o Pe. José Kentenich. Após a guerra muitas pessoas chegam a Schoenstatt atraídas pela espiritualidade que conheceram nos campos de batalha. A Obra se expande além dos muros do seminário em grupos de famílias, sacerdotes, Irmãs, homens, mulheres e jovens.

No decorrer da segunda guerra mundial a Obra é perseguida pelos nazistas. Pe. Kentenich é preso e detido por mais de três anos no Campo de Concentração de Dachau. Nesse local, em meio a grande perigo de vida, continua a edificar sua Fundação por meio de conferências e correspondências irregulares. Sob a proteção da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, nesse “inferno de Dachau”, realiza a Fundação de dois Institutos Seculares: dos Irmãos de Maria de Schoenstatt e das Famílias de Schoenstatt. É liberado do Campo de Concentração em 1945, e logo inicia as viagens mundiais, aos países onde sua Obra estava se edificando. Por dez vezes visitou o Brasil.

Inquebrantável e fiel amor à Igreja

Padre Kentenich é recebido em audiência pelo Papa Paulo VI

Por determinação eclesiástica, permanece afastado de sua Fundação de 1951 a 1965. Em obediência à Igreja, aceita seu exílio como uma forma especial de imitação a Jesus. Jamais diz algo negativo contra a hierarquia eclesiástica, que ainda não compreende seu modo de pensar e seu método pedagógico.

Amadurecido pela cruz, torna-se pai para muitos. Anuncia e vive a confiança heróica no poder de Maria e no amor misericordioso de Deus Pai. Sua vida é um serviço à Igreja que tanto amou.

No encerramento do Concílio Vaticano II, Padre Kentenich é recebido em audiência pelo Papa Paulo VI. O Papa manifesta a ele e a Obra por ele fundada seu reconhecimento. Pe. Kentenich coloca, mais uma vez, sua Fundação inteiramente ao dispor da Igreja e continua servindo-a de modo humilde, obediente e fiel.

Retorno à casa do Pai

Em 15 de setembro de 1968, festa de Nossa Senhora das Dores, logo após celebrar a Santa Missa, na Igreja da Santíssima Trindade, no Monte Schoenstatt, devolve sua vida a Deus. Falece em fama de santidade.

O processo pela sua canonização inicia-se no dia 10 de fevereiro de 1975 e são milhares os que a ele recorrem alcançando auxílio em suas necessidades.

A seu respeito, o Papa João Paulo II diz à Família de Schoenstatt, na celebração do centenário do Fundador: “Uma sincera devoção a Maria faz crescer um frutífero amor à Igreja. A vida de vosso Fundador é testemunha desta verdade”. (20.9.1985)

Referências Bibliográficas:

Schoenstatt. Irmãs de Maria de, Novena da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, 2001, 99º ed., Berto Artes Gráficas

_____________________________________________________

Para quem deseja aprofundar seu conhecimento:

MONNERJAHN. Engelbert, P. José Kentenich Uma vida pela Igreja, Ed Pallotti

NAILIS. M. Annette, Padre Kentenich como nós o conhecemos, Ed. Pallotti

URIBURU. Esteban J., Um Profeta de Maria, Ed. Pallotti

Podem ser adquiridos nos diversos Centros do Movimento Apostólico de Schoenstatt.

 

Quadro cronológico da vida de Padre Kentenich

1885

16. de Novembro
O filho de Katharina Kentenich nasce em Gymnich e é batizado com o nome de Pedro José, no dia 19 de novembro na igreja paroquial de São Cuniberto, em Gymnich. Seria chamado de José. No registro de batismo figura como se tivesse nascido a 18 de novembro. Esta data também é encontrada em muitos documentos e biografias. Porém, conforme pesquisas feitas ultimamente, pode-se supor que, na realidade, ele nasceu a 16 de novembro.

Pedro José Kentenich – Sua infância

O fundador de Schoenstatt nasceu a 16 novembro de 1885, em Gymnich e foi batizado em 19 de novembro com o nome de Pedro José. Seria chamado de José.

Presentemente, Gymnich pertence ao município de Erftstadt.

A mãe Katharina Kentenich, era a mais jovem de várias irmãs. A pequena casa onde nasce José Kentenich e onde transcorrem seus primeiros anos é propriedade dos avós maternos, Anna Maria e Matthias Kentenich.

O pai Matthias Köp vive em Eggersheim, um lugar situado a uns 13 km de Gymnich. Katharina Kentenich e Mathias Köpp se conhecem em uma granja em Oberbolheim, onde Mathias é administrador e Katharina, empregada.

A casa natal foi rematada em 1910 e reformada várias vezes. Pode ser vista, numa maquete, como era originariamente. Esta maquete encontra-se em um dos quartos que foram reformados conforme antigos planos e lembranças.

Em fins de 1891, José muda-se com sua mãe para Estrasburgo onde ficam até meados de 1892. Katharina encarrega-se da casa de seu irmão mais velho, Pedro José, em razão da morte da cunhada, ocorrida em 25 de dezembro de 1891. O pequeno José freqüenta a escola local, durante um par de meses. Pedro José torna a casar-se em 25 de junho de 1892 e então Katharina e seu filho José regressam a Gymnich.

Algum tempo depois da volta a Gymnich, a situação familiar muda. Katharina tem que arranjar um trabalho fixo para poder manter seu filho. A avó, Anna Maria, em vista de sua avançada idade, não pode mais ocupar-se do pequeno José. Em 1906 ou 1907 muda-se para a casa de sua filha mais velha, Sibilla, na localidade de Nörvenich, onde morre em 1909. Junto com a avó, o centro familiar passa a ser Nörvenich.

Por esse motivo e talvez também para poder receber uma educação melhor, José Kentenich é internado no orfanato de Oberhausen. Em 23 de setembro de 1899 sai dali e vai para a Casa de Estudos dos Palotinos em Ehrenbreitstein, perto de Coblenza. Com isto, encerra-se sua infância.

A casa natal em Gymnich recebe apoio econômico de uma Sociedade de Fomento. Já que nos próximos anos é necessário fazer algumas remodelações, esta sociedade agradece todas as doações e também a todos aqueles que desejam associar-se.

 

1910

28 de Março
É ordenado diácono.

8 de Julho
É ordenado sacerdote pela imposição das mãos do Monsenhor Vieter, Vigário Apostólico do Camerum.

10 de Julho
Celebra sua primeira missa na Capela da Casa de Missões, em Limburgo. O Padre Provincial Kolb, atua como presbítero assistente e a homilia fica a cargo do Padre Karl Stehr.

1911

18 de Setembro
O Padre Kentenich torna-se professor em Ehrenbreitstein/Coblenza.

1912

8 de Setembro
Mudança para Schoenstatt. A partir de outubro é Diretor Espiritual na Casa de Estudos.

27 de Outubro
O Padre Kentenich faz uma conferência, que posteriormente será chamada Ata de Pré-fundação.

1912/1913

Durante as férias de Natal funda-se a Associação Missionária.

1914

19 de Abril
Fundação da Congregação Mariana da Casa de Estudos de Schoenstatt.

Princípio de agosto
Declaração da Primeira Guerra Mundial.

18 de Outubro
O Padre Kentenich faz uma conferência que é considerada como Ata da Fundação de Schoenstatt. Portanto, 18 de outubro de 1914 constitui o Dia da Fundação do Movimento de Schoenstatt.

1915

2 de Abril
No dia da Sexta-feira Santa de 1915 a Capela de São Miguel, lugar de reuniões da Congregação Mariana, recebe o quadro com a imagem de Maria, que tem por título “Mãe Três Vezes Admirável”.

1919

18 de Julho
O Padre Kentenich é destituído de seu cargo como Diretor Espiritual da Casa de Estudos de Schoenstatt.

1920

Outono
O Padre Kentenich muda-se temporariamente para Engers, no convento de Santo Agostinho.

1935

8 de Julho
Celebração das bodas de prata sacerdotais.

1939

1º de Setembro
Declaração da Segunda Guerra Mundial.

1941

14 de Setembro
Depois que vários colaboradores do Padre Kentenich já haviam sido presos, ele também é interrogado, nesta data, em Schoenstatt, pela Gestapo (Polícia Secreta do Estado).

20 de Setembro
O Padre Kentenich tem de ir a Coblenza para apresentar-se à Gestapo. É interrogado e preso. Começa seu encarceramento de quatro semanas em um calabouço subterrâneo.

21 de Setembro
O Padre Kentenich é interrogado pela segunda vez por um pedido expresso de sua parte. Isto não muda nada quanto a sua prisão subterrânea.

18 de Outubro
Fim da prisão subterrânea.

21 de Outubro
Primeira carta enviada da prisão para Schoenstatt.

13 Dezembro
O Padre Kentenich começa a celebrar a Santa Missa, clandestinamente, no cárcere de Coblenza.

1942

13 de Janeiro
Terceiro interrogatório da Gestapo.

16 de Janeiro
O Padre Kentenich recebe ordem de ser posto em prisão preventiva e feito um exame médico é declarado apto para o campo de concentração.

20 de Janeiro
Pater Kentenich lehnt eine erneute ärztliche Untersuchung ab und entscheidet sich damit indirekt für das Konzentrationslager.

11 de Março
Começa o traslado para Dachau.

13 de Março
Chega a Dachau, na barraca de entrada.

29 de Junho
É enviado a trabalhar no setor de “Desinfecção”.

23 de Agosto
Da barraca de entrada é mandado para a barraca dos sacerdotes poloneses.

13 de Outubro
Da barraca dos sacerdotes polacos é trasladado para a barraca dos clérigos alemães.

1943

19 de Março
Primeira Santa Missa no campo de concentração.

1944

9/10 de Março
Prisão no “bunker para ficar em pé” e interrogatório feito por uma comissão especial da Gestapo.

24 de Setembro
Primeira conferência do ciclo de três, as quais, juntas, constituem na história de Schoenstatt “A Terceira Ata de Fundação”.

18 de Outubro
Segunda conferência da “Terceira Ata de Fundação”, por motivo do 30º aniversário da fundação de Schoenstatt.

8. Dezember
Terceira conferência da “Terceira Ata de Fundação”.

1945

6 de Abril
É libertado do campo de concentração de Dachau. O certificado de libertação já havia sido assinado em 24 de março.

20 de Março
Chegada a Schoenstatt.

15-20 de Outubro
Em Schoenstatt é realizada a primeira semana de outubro como Semana de Gratidão.

1947

14 de Março
O Padre Kentenich é recebido, em audiência privada, pelo Papa Pio XII.

15 de Março
Depois de diversas viagens à Suíça, entre 1945 e 1947, o Padre Kentenich viaja à América do Sul: Brasil, Uruguai, Argentina e Chile. Em 12 de setembro parte do Rio de Janeiro para Roma, chegando a Schoenstatt em 11 de outubro.

20 de Outubro
Nova viagem, primeiro para a Suíça; depois, a 29 de dezembro, parte de Genebra para a África do Sul, chega a Johannesburgo em 31 de dezembro.

1948

4 de Abril
Vôo da África do Sul à América do Sul; primeiro ao Brasil, depois ao Chile.

4 de Junho
Parte do Chile para os Estados Unidos.

6 de Setembro
Vôo de regresso dos Estados Unidos à América do Sul.

1950

19 de Janeiro
Vôo de regresso do Chile, passando pelo Brasil e indo a Roma.

28 de Fevereiro
Depois de ficar algum tempo na Suíça, regressa a Schoenstatt.

8 de Julho
40º aniversário de sua ordenação sacerdotal.

1951

17 de Janeiro
Parte para sua terceira viagem à América do Sul.

Semana Santa
Começo de Visitação Apostólica na Obra de Schoenstatt.

17 de Abril
Vôo de regresso a Roma.

7 de Maio
Regresso a Schoenstatt.

22 de Outubro
Despedida de Schoenstatt, indo primeiro para a Suíça, depois, em 23 de novembro, a Roma.

1952

16 de Janeiro
Viaja para a Suíça e, dali, em 17 de janeiro, parte de Zurique para a América do Sul.

20 de Junho
Vôo de Santiago do Chile a Milwaukee, Estados Unidos, onde chega a 21 de junho. Exilio

1953

3 de Agosto
Finaliza a Visitação Apostólica a Obra de Schoenstatt.

1955

18 de Novembro
Celebração dos setenta anos do nascimento do Padre Kentenich, em Milwaukee.

1956

24 de Setembro
Bodas de ouro da profissão do Padre Kentenich.

1959

Páscoa

Na Páscoa deste ano o Padre Kentenich é designado Diretor Espiritual dos paroquianos de fala alemã em Milwaukee. Desempenha este cargo até sua partida em 16 de setembro de 1965.

1960

8 de Julho
Bodas de ouro sacerdotais.

1964

18 de Outubro
50º aniversário da existência de Schoenstatt.

1965

16 de Setembro
Partida de Milwaukee para Roma, onde chega a 17 de setembro.

20 de Outubro
A assembléia plenária dos cardeais do Santo Ofício revoga todas as resoluções sobre o Padre Kentenich. Em 22 de outubro o Papa Paulo VI confirma as resoluções dos cardeais.

16. November
O Padre Kentenich é admitido no clero da diocese de Munique pelo Monsenhor Joseph Höffner.

18. November
Celebração do 80º aniversário de nascimento do Padre Kentenich.

22 de Dezembro
O Padre Kentenich é recebido em audiência pelo Papa Paulo VI.
Volta do Exilio

24 de Dezembro
Volta a Schoenstatt.

1966

13 de Janeiro até 11 de Fevereiro
Estadia em Roma.

9 de Março
Regressa a Schoenstatt.

1967

16 de Julho
Viagem a Dachau por motivo da celebração dos 25 anos da fundação dos Irmãos de Maria de Schoenstatt e da Obra das Famílias.

1968 – Domingo, 15 de Setembro
Pela manhã, pouco depois das 7 horas, o Padre Kentenich falece, na sacristia da recém construída Igreja da Trindade (Igreja da Adoração) no Monte Schoenstatt. Acabara de celebrar a Santa Missa pela primeira vez na nova igreja.

20 de Setembro
Enterro no lugar de seu falecimento.